• Editor

Aplicações do Enem 2020 encerradas

Nesta terça e quarta-feira, Inep reaplicou provas e levou o exame a locais onde a aplicação não havia ocorrido. Autarquia também realizou o Enem PPL.



O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) encerrou as aplicações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Nesta terça e quarta-feira, 23 e 24 de fevereiro, a autarquia realizou a reaplicação, além de oferecer provas a inscritos que não as fizeram devido a decretos locais relacionados à pandemia de COVID-19. Foi aplicado ainda o Exame Nacional do Ensino Médio para adultos privados de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL).


Ao todo, 228.679 participantes eram esperados para o primeiro dia, considerando a somatória de inscritos da reaplicação e da aplicação no estado do Amazonas (163.444) e nos municípios de Espigão D’Oeste (969) e de Rolim de Moura (2.863), ambos em Rondônia, que não fizeram o exame nas datas regulares devido à crise sanitária. Desse total, 63.468 (27,8%) compareceram. Já para o segundo dia, eram aguardados 234.083 inscritos. Ao todo, 64.213 (27,4%) fizeram as provas. No total, 13.568 salas foram utilizadas, em 2.188 locais de aplicação, distribuídos por 1.503 municípios dos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Vale pontuar que os dados são preliminares, tendo em vista que os números definitivos dependem da apuração do consórcio aplicador e serão informados na divulgação dos resultados do exame, em 29 de março.


Com o término do Enem 2020, o presidente do Inep, Alexandre Lopes, analisou as aplicações e o trabalho realizado para garantir a realização das provas. “Agora, iremos fazer a logística reversa, trazer as provas e corrigi-las para apresentar os resultados. Sobre esses dois últimos dias, foi uma reaplicação excepcional. Envolveu todo o estado do Amazonas. Por isso, é muito importante agradecer o empenho do governador do Amazonas, por ter decretado ponto facultativo e feriado escolar, assim como do prefeito de Manaus e dos secretários de Educação estadual e municipais. Todo o apoio que tivemos das autoridades no estado e nos demais municípios para garantir o direito dos participantes foi muito importante”, disse. “Também foram fundamentais as parcerias com a Fundação Cesgranrio e a Fundação Getúlio Vargas (consórcio aplicador), que tiveram de se desdobrar, buscando alternativas e soluções rápidas para as intercorrências. Faço, ainda, um agradecimento especial aos Correios, por terem conseguido cumprir com a logística em um momento tão difícil, com prazos tão curtos, e com excelência”, complementou o presidente.


Alexandre Lopes detalhou, ainda, o esforço empregado para realizar o exame diante da pandemia. “Conseguimos fazer a prova regular, a digital e a reaplicação. Foi bastante difícil. Nós tivemos várias alterações em relação ao que normalmente fazemos”, explicou. “Na parte das inscrições, da logística, conseguir salas, imprimir provas, trazer as pessoas e comissões ao Inep, durante a pandemia, para montar as provas, além de definir protocolos de biossegurança, foram contextos atípicos”, acrescentou. “Tivemos de inovar bastante na forma de fazer esse Enem para entregá-lo à sociedade e dar oportunidade aos participantes que, a partir de agora, poderão dar o próximo passo e buscar o sonho de acesso à educação superior”, concluiu.


De acordo com o presidente do Inep, as aplicações do Enem 2020 são um marco para os exames e as avaliações que estão por vir. “Entendemos que é uma vitória do Inep ter mantido o seu projeto e ter implementado, pela primeira vez, uma aplicação digital do Enem no Brasil. A partir de agora, o Inep se credencia a aplicar qualquer tipo de exame e avaliação da sua competência em meio digital”, afirmou.


Provas – No primeiro dia, os participantes responderam questões de linguagens, códigos e suas tecnologias, assim como de ciências humanas e suas tecnologias, além de escreverem a redação, que teve como tema “A falta de empatia nas relações sociais no Brasil”. Já no segundo dia, foi a vez das provas de ciências da natureza e suas tecnologias, bem como de matemática e suas tecnologias. Os gabaritos das provas objetivas estarão disponíveis na próxima segunda-feira, 1º de março, junto com os Cadernos de Questões.


Enem PPL – Dos 41.864 inscritos no Enem PPL, 31.006 (74,1%) realizaram as provas no primeiro dia. Já no segundo dia, esse número foi de 30.046 (71,8%). No total, 3.859 salas foram utilizadas, em 1.212 locais de aplicação, distribuídos por 630 municípios das 27 unidades da Federação.


É importante ressaltar que o Enem PPL tem o mesmo nível de dificuldade do exame regular. A única diferença diz respeito à aplicação, que acontece dentro de unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos respectivos órgãos de administração prisional e socioeducativa de cada unidade da Federação. Por meio da realização do exame, os participantes com idade a partir de 18 anos poderão utilizar o desempenho como mecanismo único, alternativo ou complementar para acesso à educação superior. No caso dos menores de 18 anos, que fizeram a prova com o intuito de conhecer a avaliação e não possuem ensino médio completo — os chamados “treineiros” —, os resultados individuais só poderão ser usados para autoavaliação de conhecimentos.


Inclusão – A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep busca alcançar o maior número possível de participantes nos exames e aplicações, proporcionando acesso aos programas educacionais brasileiros. Nesse sentido, a autarquia realiza, anualmente, o Enem PPL. O exame avalia o desempenho do participante que concluiu o ensino médio e, a partir de critérios utilizados pelo Ministério da Educação (MEC), permite o acesso ao ensino superior por meio de programas como Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, a aplicação contribui para elevar a escolaridade da população prisional brasileira. O Inep aplica o Enem PPL desde 2010.


Enem – Realizado anualmente pelo Inep desde 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar ao final da educação básica. A estrutura do exame conta com uma redação e 45 questões em cada prova das quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias. O Inep aplicou o Enem 2020 nos dias 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e em 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital).


Acesse o balanço das provas dos dias 23 e 24 de fevereiro


Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Inep