• Redação

Caso de dengue tem aumento significativo em Espigão do Oeste


O Brasil e o mundo vivem um momento que impõe desafios para todos. Com a pandemia de coronavírus, medidas de restrição e isolamento social estão sendo adotadas. Em Espigão Do  Oeste  não é diferente. Contudo, além da preocupação com a  Covid-19, a população Espigãoense deve ficar atenta a uma outra ameaça: as arboviroses. Neste período de reclusão, em que muitas pessoas estão em casa, é fundamental aproveitar o tempo para impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika vírus e chikungunya.

O coordenador da Vigilância de Espigão do Oeste Adalberto Mesquita Coelho, lembra que os lares são o ambiente mais propício para a proliferação do mosquito. “O Aedes aegypti é extremamente urbano. 90% de seus criadouros encontram-se no ambiente domiciliar. Por isso, é imprescindível que neste período de isolamento social sejam intensificados os cuidados para combater a proliferação do vetor e, assim, evitar novos casos da doença”, explica.

Prevenção

O Aedes aegypti não escolhe um criadouro específico. Basta um pouco de água em qualquer recipiente para que ele deposite seus ovos. No entanto, ações simples e rápidas podem ajudar no combate ao mosquito. É importante não  deixar água parada e verificar locais óbvios, como calhas, caixa d’água, vasos de plantas e pneus, por exemplo. Também é fundamental fazer uma varredura em ralos e vasos sanitários, espaços por vezes esquecidos.

“Normalmente o quintal é o local com maior número de potenciais criadouros para o vetor, mas temos que lembrar que os apartamentos também oferecem inúmeras condições para o Aedes aegypti se proliferar. Então é preciso ficar de olho”, ressalta Adalberto Mesquita.

Cuidados com a dengue

Cada pessoa é responsável e precisa semanalmente fazer vistorias no seu imóvel para evitar focos do mosquito.

Durante o período chuvoso, aumenta a formação de criadouros do Aedes aegypti fora e dentro de casa. Baldes, potes, quartinhas, bacias, tambores e outros recipientes que armazenam a água potável ou para uso doméstico devem ser limpos e vedados corretamente.

Outro lembrete é evitar que a água de chuva fique acumula sobre lajes e calhas.

Por isso, recomenda-se guardar garrafas sempre de cabeça para baixo, encher até a borda os pratinhos dos vasos de plantas e eliminar adequadamente o lixo que possa armazenar água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas e copos descartáveis.


Fonte: Assessoria