• Redação

Operação da PF investiga fraudes no combate ao coronavírus em Rondônia



A Polícia Federal (PF) em parceria com Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF) realiza na manhã de hoje uma operação em Rondônia em que apura fraudes na área da saúde no combate ao novo coronavírus. Segundo nota da PF, policiais estão nas ruas cumprindo dois mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão na Operação Dúctil.

Procurado pelo UOL, o governo de Rondônia informa que "não houve buscas no gabinete e residência do secretário titular da pasta [da Saúde]", de acordo com comunicado divulgado pela Superintendência Estadual de Comunicação (Secom). Segundo a PF, a operação visa "desarticular esquemas de fraudes na aquisição emergencial de materiais e insumos médico-hospitalares para atendimento das demandas das unidades de saúde estaduais.

Nas investigações teriam sido identificados indícios de atestados falsos de capacidade técnica e irregularidades na relação de empresários com funcionários da Secretaria de Saúde estadual. A CGU também identificou um pagamento adiantado de R$ 3 milhões a uma empresa sem que ela oferecesse garantias mínimas de cumprimento na entrega de produtos. Segundo a PF, os presos na operação serão interrogados na sede da entidade e responderão na Justiça, junto com os demais investigados, pelos crimes de fraudes a licitações, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Operações da Polícia Federal que apuram fraudes na compra de respiradores também estão sendo deflagradas hoje no Pará, com o governador Helder Barbalho (MDB) sendo um dos alvos, e no Amazonas. Outro lado O UOL entrou em contato com o governo de Rondônia por meio da Secom, que diz que a operação da PF está sendo realizada dentro da Assessoria Técnica (Astec) da Secretaria de Saúde. A Secom também diz que "não houve buscas no gabinete e residência do secretário titular da pasta". "Todos os fatos estão sendo apurados e serão esclarecidos o quanto antes", finaliza.


Fonte: UOL