Polícia diz que suspeito de matar e enterrar adolescente, em RO, armazenava pornografia infantil


O laudo pericial feito em aparelhos eletrônicos de Ronaldo dos Santos Lira, revelou a presença de vários materiais de pornografia infantil. Ele é suspeito de matar e enterrar a adolescente Laryssa Victoria, de 17 anos, no quintal de casa em Ouro Preto do Oeste (RO). Segundo a Polícia Civil, as novas informações podem levar o homem a condenação por pedofilia.

De acordo com o delegado Niki Locatelli, foram analisados alguns pen-drives, um notebook e o celular encontrados na casa do suspeito. Durante interrogatório realizado na quinta-feira (7), Ronaldo teria alegado que o material era para uma tese de mestrado. "De todo modo, se era ou não, isso não importa porque o crime já estaria configurado. O fato de armazenar esses materiais pornográficos por si só já configura crime com pena de até quatro anos de prisão", comentou o delegado. Confissão

Ainda segundo a Polícia Civil, Ronaldo confessou no interrogatório que matou Laryssa Victória pelo "desejo de matar" que tinha desde a infância. Ele teria usado a bolsa da própria vítima para tentar um estrangulamento, depois a esfaqueou no pescoço e "assistiu ela sangrar".


O laudo tanatoscópico confirma que Laryssa morreu de "hemorragia externa por instrumento pérfuro-inciso", ou seja, sangrou até a morte. Ele narrou no interrogatório que enquanto ela morria ele ria de prazer.


“Os fatos que ele narrou do seu interrogatório sobre a morte da Laryssa são indescritíveis, uma crueldade. Ele torturou aquela adolescente que sangrou até morrer”, aponta o delegado. Fonte: G1/RO

Sem-título-1.png