Rondônia se aproxima de 1 milhão de doses distribuídas de vacinas contra COVID-19


Falta pouco para Rondônia alcançar 1 milhão de doses de vacinas distribuídas para a imunização contra a covid-19. O Estado já recebeu do Ministério da Saúde 979.508 doses, sendo 372.108 da CoronaVac, 444.200 da AstraZêneca, 128.700 da Pfizer e 34.500 da Janssen (dose única). Esse avanço na vacinação em massa reflete na queda do número de casos de covid-19 e, consequentemente na redução de internações e óbitos em decorrência da doença.

Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs), que tiveram a quantidade ampliada pelo Governo de Rondônia, por meio Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), para absorver a demanda da população no pico da pandemia, agora começam a ficar vazios pelo aumento de pessoas protegidas contra a doença, pela testagem em massa com isolamento dos positivos e pelas campanhas de conscientização massificadas pelo Executivo Estadual.

De acordo com levantamento feito pelo Grupo de Trabalho Técnico-Científico de Enfrentamento a Covid-19, apresentado pelo secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, o principal impacto do avanço da vacinação foi na relação entre casos ativos e internados. ‘‘Em maio, por exemplo, a relação era de cinco internados para cada 100 contaminados, atualmente é de aproximadamente 2.7, ou seja, a proporção caiu quase pela metade e deve cair ainda mais com o avanço da vacinação’’, explica. Além da vacina como o grande fator para essa nova fase de enfrentamento da covid-19, outras estratégias adotadas pelo Governo de Rondônia foram consideradas fatores importantes para redução de casos, a exemplo das edições do testagem em massa por meio de drive-thrus que permitem o isolamento dos casos positivos e, assim, é um complemento para quebrar a cadeia de transmissão do vírus.

Rondônia tem também uma das maiores proporções de curados do Brasil, sendo, segundo o secretário, quase o dobro da média nacional. ‘‘Isso se deve ao fato de a pandemia ter avançado mais no Estado. Infelizmente tivemos muitas mortes, mas também muitas recuperações e boa parte dessas pessoas recuperadas apresentarão imunidade por um determinado período causando, assim, uma desaceleração da doença’’.

As mortes decorrentes dessa doença também têm reduzido. A maior média móvel foi de 48 óbitos registrada em março. Atualmente, a média móvel é de oito óbitos. Desta forma, a média móvel diária de óbitos em Rondônia é aproximadamente 16,7% do que foi o passado ou seja, uma redução de aproximadamente 83,3%.

Sem manual de instruções para enfrentar um inimigo desconhecido e fatal, o Governo Estadual não mede esforços para proteger a população e vem adotando alinhamentos técnicos para nortear as decisões essenciais para frear o vírus e assim, gradativamente, Rondônia está superando o vírus. Fonte: Vanessa Moura - Secom/Governo-RO

Sem-título-1.png